Pesquisar este blog

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Gente Diferenciada

Notícia do dia 13/08/2010:

Moradores de Higienópolis, em SP, se mobilizam contra estação de metrô

JAMES CIMINO
DE SÃO PAULO

Um grupo de moradores de Higienópolis (bairro nobre da região central de São Paulo) iniciou um movimento com o objetivo de impedir a construção da estação Angélica da futura Linha 6 - Laranja do metrô. A nova estação deve ocupar o espaço onde hoje há o supermercado Pão de Açúcar, na esquina da avenida Angélica com a rua Sergipe. A obra prevê desapropriações.
Abaixo-assinado elaborado pela Associação Defenda Higienópolis e espalhado por diversos condomínios da região contesta o projeto.
A principal alegação é a de que, num raio de 600 metros do local, já existem mais quatro estações e que a construção deveria ser feita na praça Charles Miller, para atender aos estudantes da Faap e aos frequentadores do estádio do Pacaembu.
No mesmo documento, os moradores manifestam a preocupação de que a obra aumente o fluxo de pessoas na região "especialmente em dias de jogos e shows" e de "ocorrências indesejáveis".
Outro receio, diz o documento, é que a estação vire um atrativo para camelôs. Para o engenheiro civil Mario Carvalho, síndico do edifício Palmares e um dos criadores do manifesto, a contrariedade à obra é de natureza técnica.
"Eu não sou contra o metrô passar pelo bairro. Mas essa estação fica a menos de um quilômetro da estação Higienópolis. A proximidade inclusive aumenta custos de manutenção dos trens devido ao arranque e à frenagem em curto espaço de tempo."
Carvalho critica ainda o slogan proposto pelo Metrô à nova linha. "Eles chamam essa linha de 'universitária', mas ela passa pela PUC, pelo Mackenzie, mas não passa pela Faap. A estação tinha que ser no Pacaembu."


Adriano Vizoni/Folhapress
Pessoas caminham onde deve ser construida estação do metrô; moradores de Higienópolis protestam
Pessoas caminham onde deve ser construida estação do metrô; moradores de Higienópolis protestam

"GENTE DIFERENCIADA"

Enquanto escolhe produtos na tradicional Bacco's Vinhos da rua Sergipe, cujo imóvel pode ser desapropriado pelo Metrô, a psicóloga Guiomar Ferreira, 55, que trabalha e mora no bairro há 25 anos, diz ser contrária à obra.
"Eu não uso metrô e não usaria. Isso vai acabar com a tradição do bairro. Você já viu o tipo de gente que fica ao redor das estações do metrô? Drogados, mendigos, uma gente diferenciada..."
A engenheira civil Liana Fernandes, 55, cuja filha mora no bairro, retruca a psicóloga: "Pois eu acho ótimo. Mais ônibus e mais metrô significam menos carros e valoriza os imóveis."
Com um bilhete único na mão, a publicitária Isadora Abrantes, 24, diz que a região precisa de transporte. "As pessoas contrárias à obra são antigas e conservadoras. As torcidas já passam por aqui sem metrô. A única coisa que sou contra é desapropriar o Pão de Açúcar. Tinha que desapropriar o McDonald's."
Para Cássia Fellet, ex-presidente da Associação de Moradores e Amigos do Pacaembu, Perdizes e Higienópolis, as críticas à futura estação não são consenso no bairro.
"É um grupo pequeno de pessoas que podem ser desapropriadas. Elas não têm representatividade", diz. E mesmo solidária aos vizinhos, Fellet diz que o interesse público deve ser prioridade: "Higienópolis precisa do metrô e São Paulo precisa de transporte público".

---

Notícia de ontem, 11/05/2011:

Internautas marcam churrasco em protesto a mudança de metrô em SP

A desistência do governo estadual de fazer uma estação de metrô na avenida Angélica, na região de Higienópolis, bairro nobre do centro de São Paulo, virou motivo de piada nas redes sociais nesta quarta-feira. Internautas marcaram um churrasco para protestar contra a decisão (leia abaixo).
Após protestos, governo de SP desiste de metrô na Angélica
Moradores de Higienópolis se mobilizam contra estação
Reportagem da Folha de hoje mostrou que a decisão ocorreu após pressão de moradores, empresários e comerciantes da região. A estação da linha 6-Laranja deve ser construída na praça Charles Miller, no estádio do Pacaembu.
No Twitter (rede de micrblogs), o assunto entrou nos tópicos mais comentados do país desde a manhã. "É tão fácil resolver esse problema do metrô em Higienópolis, gente: faz uma entrada social e uma de serviço. Pronto", escreveu Luisa Tieppo em seu perfil.
Outros usuários abusaram da ironia para criticar a mudança. "Já posso comprar uma passagem para o país de Higienópolis? Eu gosto de ver riqueza. Não me misturo com esse povinho do restante do Brasil", afirmou Guilherme Navarro.
Rodrigo Martins provocou: "Higienópolis e Pacaembu não querem metrô? Bota uma estação lá na minha saudosa Vila Quaquá!".
"Dá vergonha ver a cidade abrir mão de uma estação de metrô na região central por causa de 3.500 higienopolitanos. Mas a linha é pra quando, 2100?", questionou Tiago Marconi.

Reprodução/Facebook
"Convite" de churrasco marcado em protesto contra mudança de estação de metrô em Higienópolis, no centro de São Paulo
"Convite" de churrasco marcado em protesto contra mudança de estação de metrô em Higienópolis, centro de SP


CHURRASCO

No Facebook a piada foi além e promete sair da esfera virtual. Um usuário marcou um churrasco da "gente diferenciada", em alusão a uma frase dita por uma moradora à reportagem da Folha em agosto do ano passado.
Até por volta das 18h10, mais de 11.300 pessoas haviam "confirmado presença" no evento pela rede social.
A postagem diz que o churrasco vai acontecer no sábado (14), a partir das 14h, em frente ao shopping Higienópolis. O organizador pede que sejam levadas "cadeiras de praia, cachaça, farofa e som portátil".

Fonte: Falha de São Paulo
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/782354-moradores-de-higienopolis-em-sp-se-mobilizam-contra-estacao-de-metro.shtml
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/914459-internautas-marcam-churrasco-em-protesto-a-mudanca-de-metro-em-sp.shtml

Um comentário:

Follow by Email