Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de maio de 2012

O 'Pinheirinho' da Rede Globo foi legalizado pelo Estado





O mesmo governo que não legalizou o Pinheirinho, presenteou a Rede Globo de televisão com um terreno de R$ 11 milhões.


Área invadida pela Globo e legalizada por José Serra
Área invadida pela Globo e legalizada por José Serra


No último domingo [texto escrito ], a Polícia Militar de São Paulo usou de sua peculiar truculência para expulsar as 1600 famílias do acampamento Pinheirinho, em São José dos Campos, interior de São Paulo.
A área foi devolvida ontem para a massa falida da empresa Selecta, do especulador Naji Nahas.

Durante os oito anos de ocupação,o prefeito José Eduardo Cury (PSDB) procurou dificultar ao máximo as negociações para que o terreno fosse declarado como "Zona especial de interesse social", medida necessária para desapropriar e legalizar a área para os moradores.

Depois foi a vez do governador Geraldo Alckmin recusar qualquer acordo. Mesmo havendo a oportunidade de solicitar um prazo junto à Justiça para adiar a reintegração e tentar uma decisão conjunta com os governos municipal e federal, ele resolveu colocar a polícia em campo e deixou toda aquela gente na sarjeta.

O interessante nessa história toda é que o governo não apresentou o mesmo comportamento quando a invasão partiu do maior canal de tv do país.
É dela mesmo que eu estou falando, a Rede Globo de televisão.

Para quem não conhece a história, durante 11 anos a Rede Globo se apropriou de um terreno público localizado ao lado de sua sede em São Paulo.
O local fica em uma da regiões mais cobiçadas pelo mercado imobiliário, tem 11.600 metros quadrados e está avaliado em R$ 11 milhões.

A emissora dos Marinhos cercou e transformou o lugar verde de praça pública em espaço privado, de modo que qualquer cidadão (não global) que se aproximava era barrado e expulso pelos seguranças.

Em 2010, a denúncia da invasão foi ao ar no programa Domingo Espetacular [vídeo abaixo], da Rede Record, então o governador José Serra resolveu legalizar o terreno para a Globo.

Na tentativa de abafar o caso, Serra e Globo firmaram um convênio e decidiram construir uma escola técnica no local. A instituição não visa oferecer cursos de interesse do público, mas sim da própria emissora: (Multimídia e Produção de áudio e vídeo).
Só para variar, Serra ainda batizou o lugar de "Jornalista Roberto Marinho".

Governo e Globo se saíram bem na história, e não deram ao povo nenhuma explicação sobre os anos de ilegalidade do canal e omissão do Estado.

Já pensou na Polícia Militar expulsando os executivos da "vênus platinada" com tiros de borracha, bombas, cachorros e cassetetadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email