Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Homeopatia

http://natural.enternauta.com.br/dicas/o-que-e-homeopatia/

Muita gente confunde o tratamento homeopático com o tratamento fitoterápico. Este último se refere ao uso de plantas e ervas medicinais para tratar os problemas de saúde. A homeopatia é muito mais ampla e se mostra como forma alternativa à alopatia.

Origens da Homeopatia

A homeopatia foi fundada no final do século XVIII por Samuel Hahnemann. Em 1796, ele publicou o “Ensaio sobre um novo princípio para descobrir as virtudes curativas das substâncias medicamentosas, seguido de alguns comentários a respeito dos princípios aceitos na época atual” (sim, antigamente os livros tinham nomes bem grandes), sintetizando muito do que já havia sido dito a respeito no princípio dos semelhantes.

Princípio dos Semelhantes

A medicina mais usual, conhecida como alopatia, se baseia na noção de que para tratar um sintoma, é preciso usar substâncias que atuem contra eles. Essa noção é conhecida como princípio dos contrários e vai pautar os tratamento médico tradicionais assim como a própria fitoterapia. Já na homeopatia, defende-se o princípio dos semelhantes. Segundo ele, devemos usar uma substância capaz de provocar sintomas semelhantes para que a doença seja tratada. Dito de outro modo, na perspectiva homeopática, aquilo que causa a doença em uma pessoa saudável é também capaz de curar um indivíduo doente.

Outros Princípios

Além da lei dos semelhantes, a homeopatia também se pauta por mais 3 princípios. Ao total são:
Homeopatia
Homeopatia
  • princípio dos semelhantes
  • experimentação em pessoas saudáveis
  • doses infinitesimais
  • e medicamento único
A questão da dose infinitesimal é uma das mais polêmicas para os médicos e cientistas tradicionais. Na homeopatia, os medicamentos são diluídos inúmeras vezes em água ou álcool, a fim de potencializar as propriedades latentes da substância. Contudo, essa explicação não faz muito sentido se pensarmos nos termos da química contemporânea, pois a diluição levaria à redução ou desaparecimento das propriedades ativas.

Homeopatia É Eficaz?

Essa polêmica gera discussões fervorosas na comunidade científica. Recentemente, cientistas do Conselho Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (NHMRC), na Austrália, divulgaram os resultados de um estudo que revisou 255 pesquisas sobre a homeopatia. De acordo com o órgão, muitos dessas pesquisas apontavam bons resultados no uso dos remédios homeopáticos, mas eles não eram conduzidos de modo adequado. Para que uma pesquisa tenha validade científica, é necessário que haja uma série de requisitos de comprovação. Para o NHMRC, esse não é o caso de muitas pesquisas feitas sobre a homeopatia. Para Warwick Anderson, CEO no órgão:
“Qualquer tratamento médico deve ser baseado em evidências confiáveis. A revisão mostrou que não é possível afirmar que a homeopatia funcionar melhor do que placebo”.
E acrescentou:
“Pessoas que escolhem a homeopatia podem colocar sua saúde em risco ao rejeitar ou postergar tratamentos comprovados cientificamente”.
A Associação homeopática Australiana não concordou com os resultados e respondeu:
“Faça uma análise mais abrangente da eficácia da homeopatia e uma avaliação econômica de longo prazo dos benefícios de um sistema mais integrado, que respeita a escolha do paciente no cuidado da saúde”.
Ou seja, os dois lados apresentam argumentos em defesa de seus próprios métodos, mas não existem consensos nem respostas finalizadas em relação à questão. O que se sabe é que muitos pacientes garantem que obtiveram excelentes resultados com o uso da homeopatia.

Conclusão

É difícil opinar em relação à eficácia da homeopatia. Parece haver, de ambos os lados, interesses que ultrapassam os limites do tratamento de doenças, chegando a um nível político. No Brasil, seguimos os padrões médicos e científicos ocidentais, pautados na racionalidade e na experimentação. Porém, esses padrões não são únicos, nem se mostram como absolutamente verdadeiros. Recentemente ouvi um comentário bastante interessante a esse respeito: “precisamos nos lembrar que havia vida antes da ciência”. E de fato, os saberes não estão fechados dentro do conhecimento científico. As populações indígenas, por exemplo, utilizam vários métodos de tratamento que são completamente diferentes da medicina tradicional, mas que têm garantido a saúde desses povos há milênios. Não cabe aqui defender a homeopatia ou os tratamentos tradicionais, mas levantar o debate. Com essas informações, os leitores do blog poderão se posicionar e decidir no que acreditam, lembrando sempre que não existem Verdades com V maiúsculo no mundo científico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email