Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Justiça: mulher de Cachoeira ameaçou juiz com dossiê para revista Veja

http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/cpi-cachoeira/noticias/0,,OI6033058-EI20308,00-Mulher+de+Cachoeira+ameaca+juiz+com+dossie+para+a+Veja.html

Andressa teria tentado subornar juiz do processo da Operação Monte Carlo. Foto: Sebastião Nogueira/O Popular/Futura Press
Andressa teria tentado subornar juiz do processo da Operação Monte Carlo
Foto: Sebastião Nogueira/O Popular/Futura Press
Segundo a Justiça, na suposta tentativa de chantagem ocorrida na última quinta-feira, a mulher de Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça, teria informado ao juiz Alderico Rocha Santos a existência de um dossiê contendo informações desfavoráveis ao magistrado responsável pelo processo da Operação Monte Carlo. O material seria publicado pelo jornalista Policarpo Júnior na revista Veja. Se o juiz concedesse liberdade ao contraventor e o absolvesse das acusações ofertadas pelo Ministério Público, Andressa disse que poderia evitar a divulgação do material.
O conteúdo da suposta corrupção ativa praticada pela mulher de Cachoeira consta na decisão do juiz federal Mark Yshida Brandão, diretor do Foro da Seção Judiciária de Goiás, em resposta à representação encaminhada pelo Ministério Público Federal. Baseado na denúncia de Alderico Rocha, o MPF entrou com pedido de mandados de condução coercitiva para Andressa e de busca e apreensão em sua casa, além de medidas cautelares pessoais contra a companheira do bicheiro.
Entre as determinações, Andressa está proibida de acessar ou frequentar o prédio da Justiça Federal de Goiás; de manter qualquer contato, pessoal, telefônico ou por qualquer outro meio, ainda que por outra pessoa, com o juiz Alderico; de manter contato com qualquer um dos réus investigados pela Operação Monte Carlo. A decisão da Justiça Federal de Goiás foi publicada na página oficial do órgão no início da tarde desta segunda-feira.
Na decisão, o diretor do Foro achou oportuno destacar trecho do ofício enviado por Alderico Rocha, onde relata que "a referida senhora continuou a insistir para que este juiz revogasse a prisão do seu marido Carlos Augusto, argumentando que o referido dossiê iria, também, constranger o juiz Wilson Dias, afirmando que o mesmo é compadre deste juiz e que sabia da convivência familiar existente".
"A gravidade dos fatos noticiados, decorrente da ousadia e destemor demonstrados pela requerida ao tentar intimidar e chantagear o juiz federal encarregado da condução do processo pertinente a Operação Monte Carlo, por si só, exige a imediata aplicação de medida capaz de obstar novas incursões da requerida e proteger o juiz federal Alderico Rocha Santos de qualquer tentativa de intimidação, a fim de que possa desempenhar o seu mister", escreveu Brandão.
A redação do Terra entrou em contato com a Veja , mas o diretor de redação, Eurípedes Alcântara, ainda não havia dado um posicionamento a respeito da denúncia que cita a revista de circulação nacional.
Hoje pela manhã, Andressa foi ouvida na Delegacia da Superintendência da Polícia Federal de Goiânia, onde prestou esclarecimentos sobre a suposta chantagem feita ao juiz Alderico. A Justiça decidiu que ela terá três dias para pagar uma fiança estipulada em R$ 100 mil, como forma de garantir o cumprimento das medidas cautelares impostas e assegurar o seu comparecimento ao Juízo Federal todas as vezes em que for intimida.
"Ela pode ficar presa em caso de descumprimento de uma das determinações cautelares determinadas pela Justiça. Ela está proibida de entrar em contato, inclusive por telefone, com qualquer um dos investigados pela Operação Monte Carlo", explicou o delegado.
Se for indiciada e condenada por corrupção ativa, Andressa poderá pegar de dois a 12 anos de prisão, além de pagar multa. Na casa onde vive a mulher de Cachoeira foram apreendidos dois computadores e dois tablets que serão periciados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email